Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

© os contos da abelha..

escrever ao sabor do vento..

26
Dez21

a chuva saiu à rua num dia assim..

Ana a Abelha

era uma vez..PARA A MARIANA

era uma vez uma gotinha que passava o dia a nadar num lago, num parque da cidade. coabitava com patos e cisnes e rãs. nadava e nadava e nadava. era o nada que é tudo. todas as gotinhas eram o lago e só existiam isoladas para eu poder contar a história. na verdade era o lago que nadava e nadava e nadava. como os bandos de pássaros que voam em sincronia como se fossem um corpo só. que na realidade são. um dia o vento veio e disse à gotinha: preciso que venhas comigo. ela compreendeu, já o tinha feito antes e então deixou-se evaporar até aos píncaros do céu. para engordar as nuvens que há dias tinham andado a passear pelas ruas e tinham feito o lago transbordar. desta vez o vento levou as nuvens para o rio. e a mudança de temperatura fez com que todas as gotinhas se tornassem chuva. o vento agitou o rio e fê-lo correr para o mar. ora aí a gotinha nunca tinha estado. na foz do rio o mar convidou-a a provar uma pitada de sal e ela aceitou e assim saltou a rebentação das ondas e nadou com a nova família. era uma gotinha de água doce que optou por ser salgada. era o nada que é tudo. depressa teve consciência da sua imensidão. e nadou, nadou, nadou até alto mar, por onde nadam as baleias e brincam os golfinhos. e a gotinha pensou para com os seus botões de oxigénio que abençoada que sou. e deixou de ser uma gotinha para ser um oceano.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D